Microagulhamento – Orientações e Riscos
02 de fevereiro de 2018

Quer saber como funciona o microagulhamento? Primeiramente precisamos falar que que as técnicas de microagulhamento são referências no tratamento de estrias, manchas, rejuvenescimento, cicatrizes de acne, rugas finas, entre outros.

 

Porém, se essa técnica não for realizada corretamente, pode aumentar os riscos de complicações, como infecções ou piora das lesões prévias.

 

Portanto, para alertar sobre os riscos de se fazer o microagulhamento em casa ou com pessoas não capacitadas, resolvemos escrever este artigo para explicar com mais detalhes a técnica e suas complicações.

 

O que é e como funiona o microagulhamento?

 

O microagulhamento é um procedimento que faz microperfurações na pele (no rosto ou outras partes do corpo). O intuito é causar microlesões que geram um processo inflamatório local, estimulando os fibroblastos a produzir mais colágeno e levando ao processo regenerativo da pele.

 

A técnica é realizada com um instrumento – o Roller -  que possui microagulhas de inox com tamanhos variados que podem ser de 0,1 a 2,0 mm de altura e densidades diferentes.

 

Cada tamanho de agulha tem sua indicação e atua em uma determinada área do corpo.

 

Um dos erros mais comuns é a não higienização e desinfecção da pele corretamente e do hábito comum e extremamente proibitivo de se "reutilizar" o Roller. No qual, muitos fazem para “baratear” a técnica. Isso leva a um risco elevado de contaminação e infecção bacteriana e viral (HIV, hepatites) que podem ser gravíssimas.

 

Devido a possibilidade do microagulhamento causar infecções, ele não é indicado para quem tem histórico de herpes recorrente e processos infecciosos e inflamatórios locais (celulite, eczema,acne pustulosas e nodulares). Lembrando que o procedimento causa sangramento, ou seja, sua pele ficará lesionada, se transformando em uma porta de entrada para bactérias.

 

O uso de determinados medicamentos contraindica a técnica, como vitaminas com efeito anticoagulante, anticoagulantes, antiagregantes plaquetários, fotossensibilizantes, anti-inflamatórios não esteroidais, corticóides, retinóides e outros.

 

Além disso, a pressão aplicada exige técnica e destreza. Ela deve variar de acordo com o objetivo do tratamento (cicatriz de acne ou melhora na firmeza de pele, etc.) e de acordo com a região onde é aplicado, para que não se atinja superfícies ósseas, semimucosas e  área da epiderme muito fina.

 

Caso você tenha tendência a desenvolver quelóide ou cicatrizes hipertróficas, dermografismo, urticária física ou distúrbios de coagulação, o quadro pode piorar, sendo por isso não se deve fazer o procedimento sem orientações médicas.

 

A aplicação da técnica sem o devido preparo prévio da pele pode ocasionar a piora, ao invés de melhorar as manchas.

 

Assim se você tem interesse em fazer o microagulhamento, procure um dermatologista capacitado para avaliá-lo corretamente, orientá-lo se houver indicação e tratá-lo de maneira adequada e com segurança. Você pode agendar a sua consulta na nossa clínica de dermatologia em Campo Grande MS no site oficial da FSKIN - Dermatologia, ou pelo Whatsapp: (67) 9 9278 3663.

Teremos o prazer em responder suas dúvidas e entraremos em contato o mais breve possível.
Erro ao enviar o e-mail
Email Enviado Com Sucesso!